Em 2018 a energia solar fotovoltaica no Brasil deve dobrar



Estão previstas para este ano, 2018, o início das operações de 67 usinas de produção de energia solar, segundo a Aneel, Agência Nacional de Energia Elétrica, e, estas usinas, devem iniciar a geração de energia elétrica até o ano de 2021.



Estas 67 usinas são resultado de leilões que foram feitos em 2014 e 2015. E, depois do início destas usinas, a previsão é que a produção de energia solar no país dobre de quantidade. Segundo um relatório da Aneel, há uma previsão de entrada garantida de 28 usinas com viabilidade alta, o que totaliza 781 megawatts, e 35 usinas com viabilidade média, que soma o total de capacidade instalada de 231 megawatts.

A Aneel ainda tem como meta para o ano de 2018 colocar em operação outras sete usinas hidrelétricas, com potência de 3.097 MW e, no ano de 2019, mais 1.012 MW de potência. No final de 2017 o Brasil atingiu mil MW de energia solar e, em 2018, deve ser acrescentado 1.012 MW, ou seja, dobrará a capacidade de energia solar fotovoltaica do país. E, no ano de 2019, a Aneel prevê que entrem mais 356 MW deste tipo de energia renovável no Brasil.

Conforme informações da Agência Internacional de Energia, IEA, a energia solar poderá chegar a 11% de toda a oferta de energia elétrica no mundo, no ano de 2050. Neste ano, o Brasil deve ficar entre os 20 países que mais geram energia solar no planeta, de acordo com a potência contratada e a escala da expansão dos outros países.