Aliança Internacional de Energia Solar



Em 30 de novembro de 2015, na Conferência do Clima em Paris, foi lançada a Aliança Internacional de Energia Solar pelo primeiro ministro da Índia, Narendra Modi, e pelo presidente da França, François Hollande.



 

Esta Aliança é um acordo feito entre 121 países localizados entre os trópicos de Câncer e Capricórnio, ou seja, os países que estão nas regiões mais ensolaradas do planeta. A meta da Aliança Internacional de Energia Solar é unir e cooperar ainda mais com os países de todo o mundo, promovendo, divulgando e incentivando a energia solar como fonte para gerar energia elétrica, principalmente, nas nações que possuem bastante incidência do sol.

Os países que pertencem à Aliança devem trabalhar para diminuir os custos de financiamento e da tecnologia solar, criando projetos para levar a energia solar, que é uma fonte de energia limpa e sustentável, aos países em desenvolvimento. Como o Brasil possui um enorme potencial solar, foi enviado ao Congresso Nacional uma solicitação para a adesão do país na Aliança Solar Internacional, ASI, para, desta forma, se posicionar internacionalmente, segundo informações da Absolar (Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica).

Entrando para a ASI, o Brasil terá diversos benefícios, como, por exemplo, as vantagens nos programas para financiamentos, incentivos, regulações, modelos de negócios, tecnologias, pesquisas e desenvolvimentos. Além de acelerar o desenvolvimento deste tipo de energia no país.